domingo, 23 de abril de 2017


Veio ter comigo certa vez um homem instruído.
«Sei o caminho, anda daí», disse-me.
Fiquei exultante.
Apressámo-nos os dois.
Pouquíssimo tempo depois, demos por nós
Onde os meus olhos não tinham préstimo,
E eu desconhecia o rumo dos meus pés.
Aferrei-me à mão do meu amigo;
Até que por fim ele gritou, «Estou perdido.»

Stephen Crane
in Lacre (traduções e versões de poesia de Vasco Gato - 2ª edição aumentada), Língua Morta, 2017.

Sem comentários:

Enviar um comentário