sábado, 11 de janeiro de 2014

Pão e circo
 
Pão e circo chegariam para que o engano jamais se desfizesse. Acontece que o pão começa a faltar e o circo já não é olhado com os mesmos olhos. É afinal a nossa esperança. A esperança no homem que se procura. A esperança na falta, no gesto cego da falta, na força bruta do acto. Foi sempre esse o pão, aquele que fazemos.
 
*
 
O escuro
 
O mundo não se rege por um princípio de racionalidade, qualquer que seja a sua evidência: sentido, valor, virtude ou justiça. O mundo rege-se por um princípio de poder. De nada te serve a luz que apontas ao escuro caminho. O que tentas iluminar, apenas o escuro revela.
 
 
Jorge Roque
in Cão Celeste n.º 4, Lisboa, Novembro de 2013.