domingo, 22 de dezembro de 2013

Demora-te sobre a pele do espelho,
(Teu corpo por empréstimo)
Ignora a idade
Que à porta deixaste.
Não olhes a ferida em cave de pé alto
Onde tudo está:
Água de estrelas, palavras de gesso;
E na aragem rente ao chão outro desconcerto,
Treva imensa, outro género de luz.



Nunes da Rocha
in Óculos sujos, fígado gordo (&etc).

Sem comentários:

Enviar um comentário