sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Não há baladeiro audaz que por estes dias não arraste atrás de si a sua tediosa oficina poética e insista na evidência das suas chagas profissionais perante audiências de que a vocação de São Tomé desapareceu quase por completo.


Miguel Tamen
in Artigos Portugueses (Assírio & Alvim).

Sem comentários:

Enviar um comentário