quinta-feira, 21 de novembro de 2013

[...]
 
M.S.Lourenço: Eu sentava-me diante dela [G. E. M. Anscombe] com o meu caderno e os meus livros; se eu tinha preparado, por exemplo, alguns problemas e dificuldades sobre proposições elementares, a sessão começava com um longo silêncio, durante o qual eu às vezes recitava para dentro o meu veni creator spiritus, mentes tuorum visita e ao fim da qual começava um diálogo do seguinte género:
 
Ela: Are you thinking?
Eu: Yes.

(Novo silêncio.)
Ela: Intransitive?
Eu: No.

(Novo silêncio.)
Ela: What about then?
Eu: Elementary propositions.

(Silêncio mais prolongado).
Ela: Give me an example of one.
Eu: I can’t.
Ela: Very Good.

.....
 
in  A Teoria do Programa. Uma homenagem a Maria de Lourdes Ferraz e a M. S. Lourenço; A. M. Feijó & M. Tamen (eds.), Lisboa: Programa em Teoria da Literatura, 2007.

Sem comentários:

Enviar um comentário