sexta-feira, 11 de outubro de 2013

XVII - O QUARTO

Neste quarto que me priva
da voz, visão e ouvido do mundo,
entre renúncias, sobrevive
a minha existência;
o que será uma memória
irrenunciável do vazio,
um trajecto deserto,
sem temperatura, até um desejo
de magoada serenidade.
De uma idade terminada.


Rui Miguel Ribeiro
in XX Dias, Averno.

Sem comentários:

Enviar um comentário