terça-feira, 15 de outubro de 2013

VÁRIAS CURIOSIDADES AVULSAS

É curioso como
os olhos se acendem ou apagam
independentemente de estarem abertos ou não.

*

É curioso como
uma coisa já de si simples
por amor da clareza fez por tornar-se
ainda mais simples,
cada dia um pouco mais simples,
a ponto de hoje passar aos olhos de todos
por algo tão estranho e complexo
e escandaloso
(como uma vela diante da perna de uma mulher,
como um sal tão salino que consome a colher).

*

É curioso como
Deus para uns existe, para outros não,
para si próprio não sabemos.

*

É curioso como,
num concerto,
dum violino dizemos que ressoa,
dum velho, que ressona:
quando ambos só deitam cá pra fora
o que lhes vai na alma por via sonora.

*

É curioso como
os mercados se mostram apreensivos, apreensivos.
Eu julgava que os mercados eram sítios
onde se compra fruta.
Será que a melancia
também anda apreensiva? Será que
só o diospiro consegue guardar a serenidade
no seu coração tão vermelho?
Depois me explicaram que os mercados são sítios
onde se compra títulos, que é proveitoso adquiri-los.
Alcancei que adquirir um título é deveras uma coisa gloriosa,
logo decidi que sim e qual:

A Ilustre Casa Ramires.

Sendo eu detentor deste título
(a notariar terça que vem)
aplicá-lo-ei ao que bem entender
e já está decidido que
A Ilustre Casa Ramires
será o novo nome das minhas

botas de inverno.


José Luís Costa
in Da Madragoa a Meca, &etc.

Sem comentários:

Enviar um comentário