domingo, 14 de julho de 2013

DITADO SEM INTERFERÊNCIAS


Cheio de diamantes no estômago
(numa antecipação ao Paraíso)
contemplo a cidade dum miradouro
e oiço vozes ao longe sob o arco
do nevoeiro; então, transcrevo o canto
petrificado em uma sombra no deserto

Cauteloso, mui rápido, tal qual um gato,
meço o tamanho vocal só dum salto
d' acôrdo com meu corpo escanzelado,
instrumento silencioso afim do espírito:
transcrevo e não me atrevo a calar o estrépito


António Barahona
in As Grandes Ondas, Averno

Sem comentários:

Enviar um comentário